2 de mai de 2013

O despertar

 Acordei.

É claro aqui. Extremamente claro. Que lugar é esse? Uma prisão? Um hospital? Há quatro paredes sólidas, um colchão duro, e uma pequena fenda. Onde está a porta? Onde está a porta caralho ? Eu não vejo uma porta . Onde Diabos eu estou? Como eu cheguei aqui?

Pense... o que aconteceu? Lembre do que aconteceu... Onde eu estava na noite passada? Onde eu adormeci? Merda... Não consigo pensar, EU SOU BURRO. Não consigo pensar em nada. Isso aqui é algum tipo de experimento que a pessoa morre pelo cu ? Não consigo pensar. Eu não consigo pensar nem na merda do meu nome! Quem sou eu? Eu sou um rato, um rato super dotado isso, Eu sou um rato..

ESPERE! Olhe a sua volta, idiota. Paredes sólidas. Quarto trancado. Eu estou em um hospício. É isso. Eu estou louco! Eu estava louco, pelo menos. Aparentemente estou bem agora. Estou curado? Posso sair daqui? Ein porra ? Eu tenho dinheiro!

Me levanto. Dou uma olhada em mim. Estou nu e sem nenhuma roupa FANTÁSTICO. Estou bem limpo, pelo menos, assim como o resto do quarto. Tudo em minha volta é branco e imaculado. É tão claro aqui eu to no INFERNO, isso eu sou um rato bem dotado que está num inferno. 

"Algum filho da puta por favor? Tem alguém aí, eu perguntei.. TEM ALGUÉM AI ? Preciso de ajuda!" Grito. Não há nenhuma resposta não precisava de ajuda mesmo.

"Alguém! Por favor!"

Começo a andar em volta sentindo as paredes. Onde está a porta? Tem que haver uma porta aqui. Mas que porra é essa? TEM que ter uma porta! Eu sou rico eu pago!

Não há nada. Paredes lisas sem remendas ou rachaduras. Eu olho embaixo do colchão para ver se há algo a mais no quarto. Não fico surpreso em ver que não há nada em baixo dele só mais um rato super dotado.

Estou em um hospício? Isso parece tão irreal. Onde diabos estou? Por que eu não consigo lembrar nem a porra do meu nome???

"Eí viado, você finalmente acordou, não é?" Eu ouço a voz de um homem velho vindo da fenda. Eu corro até ela, extremamente animado.

"SIM! O que está acontecendo? Quem é você? É Deus É DEUS!?" Eu grito entusiasmado. Eu olho pela fenda para ver nada além de escuridão mas eu grito EU TENHO DINHEIRO!.

"Você não lembra nada disso, lembra?" Ele me pergunta.

"Lembro. Por isso que estou te perguntando"

"Tudo bem." Ele diz, em um to risonho em sua voz. "Eu acho que você vai ser ótimo."

Você não é deus e eu não tenho dinheiro. Eu estou tão cansado desse sentimento de estar totalmente perdido. Eu quero entender Mas não posso, eu sou burro meu deus eu descobri.. EU SOU VOCÊ.

"Por favor," eu imploro. "O que está acontecendo? Quem é você? Quem sou eu?"

Eu ouço apenas silêncio.

"ME FALA!" Grito. Meu berro ecoa pela fenda, e nada me é respondido.

Horas passam.

Eu sou deixado sozinho com meus pensamentos. É tão difícil de vasculhar os corredores da minha mente, e descobrir que diabos eu sou. Isso é tão fora do normal... Eu não sei o porque, pois eu não tenho nenhuma memória da minha vida para comparar com isso, mas eu sei que quero sair daqui. Eu preciso sair daqui Porquê eu quero sair daqui!!.

Eu caminho perto das paredes, sentido cada centímetro delas tentando achar qualquer sinal de uma saída. Não é possível que esse lugar tenha sido construído em minha volta. Como eu não consigo achar nada? Horas e horas passam, sem nada. Eu grito por ajuda até minha garganta doer, mas não adianta de nada. Se existe alguém lá fora, se o homem ainda estiver lá, ele não vai responder. Finalmente, exausto, eu me deito e me levanto

Quando eu acordo há comida para mim. Uma bandeja com pão, arroz, e um pedaço de carne no canto. Há um copo com água também. Estou extremamente faminto poderia comer até sua mãe mas não como porcarias, ops, então não tenho nenhuma hesitação enquanto ando até minha comida e a como. É delicioso. Estou tão feliz. Depois que termino tudo, eu finalmente volto ao meu senso e começo novamente a me perguntar quem sou eu. Um rato um rato bem dotado um rato bem dotado alienigna.. Isso que sou.

Eu vou até a fenda e grito, "Olá?"

"Olá!" Eu ouço a voz em um tom alegre.

"Quem é você?" Eu pergunto.

"Você gostou da comida?" É a resposta que eu recebo.

Não estou no momento para merdinhas de jogos. Eu quero respostas.

"ONDE EU ESTOU? ME DEIXEM SAIR DAQUI!"

"Você sairá em breve. Nós temos que ter certeza que você está saudável!"

Mas que merda...? Eu sou apenas um experimento? Igual a você ? Eu sou você ? Eu sou um rato.. um rato.. Eu estou saudável o suficiente. Eu quero respostas, porra, quero saber quem eu sou. E mais importante, quero ser livre, Livre que nem um rato.. Um rato.

"ME DEIXE SAIR SEU BASTARDO DE MERDA! EU QUERO SAIR DAQUI! Eu sou vida loka!

A voz tinha ido novamente. Eu grito mais, mas é sem sentido fazer isso. Estou sozinho.

Assim que as horas passam eu passo pela minha rotina de checar as paredes e achar um jeito de sair dali. Eu, obviamente, não acho nada. Eventualmente sinto vontade de usar o banheiro, mas não há lugar algum onde eu possa ir. Eu grito isso alto, mas ninguém me responde. Eu sou muito orgulhoso para fazer minhas necessidades em um canto. Isso é humilhação. Eu não deixarei eles me verem dessa forma. Se é que eles podem me ver. Algo me diz que eles podem. Eu sinto como se eles tivessem sempre me olhando.

Uma nave alienigna do acre pousa em frente ah onde estou, ratos ratos super dotados vieram me buscar, estou livre!!!

Até que acordo eu sou um urso eu sou um urso, não sou adão ou eu sou um drogado, provavelmente sou um E.T.

As vezes eu deito e choro. Eu berro e grito e choro até que me sinta completamente exausto e durma.

Algo estranho então acontece. Eu sonho.

Na minha mente, estou voando. Há árvores e rios e a luz do sol e tudo é muito estranho. Eu consigo sentir uma sensação estranha no meu estomago e boca. Dói um pouco.

Acordo novamente em minha prisão. Ainda sinto um pouco de dor em meu estomago. Eu esfrego com minha mão e sinto algo estranho. Quando olho pra baixo há uma cicatriz saliente lá. Mas que merda é essa? Sinto a mesma coisa na minha bochecha. Estou chocado, mas no mais com muita raiva. Eles estão jogando comigo. Eles esperam até que eu durma e começando seus malditos jogos. Eu olho para as paredes e grito. Eu quero sair daqui. 

Estou ah mais de 1 ano longe das drogas. Eu não sou mais um rato, digievolui mas voltando a historia

"Você está bem?" Eu ouço a voz familiar.

"VOCÊ ME MACHUCOU SEU FILHO DA PUTA! VOCÊ ME CORTOU E ME ABRIU(Uii)! O QUE VOCÊ FEZ COMIGO?!" Eu bato na fenda o mais forte que consigo. Eu vou quebrar essa porra. Eu quebrarei até aonde o homem está e vou FAZER ele me dar respostas. Eu bato e bato varias vezes. Minha mão dói muito. Acho que a quebrei. Eu não ligo. Eu apenas continuo batendo e gritando.

"Por favor, se acalme. Desculpe se eu te machuquei. Eu farei com que cure logo. Você está sozinho?" 

Eu me nego a responder. Eu vou ignorá-lo, assim como ele me ignora. FODA-SE ele. Ele não parece ligar se eu respondo ou não. Ele não liga pra mim. Ninguém liga. Eu sou um animal. Eu sou um experimento. Eu sou uma porra de um brinquedo, Eu sou um rato.

Estou livre.. estou livre.. Faz dois anos da droga.


                                                   Clique aqui para ver o post original                        
 

3 comentários :

Receba nossas atualizações por e-mail