18 de jul de 2014

Hora de Dormir (FINAL)

Olá amiguinhos, faz tempo que não aparece anda que preste aqui no blog (bem, nunca apareceu, mas enfim) e aparentemente os outros postadores desapareceram na escuridão. Enfim, enquanto estava entediado eu notei isso e decidi postar alguma coisa aqui só pra quebrar o gelo, entendem? De qualquer forma, aproveitem.

- Fernando 100% Gatão
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Quando voltei pra casa, fiquei chocado quando percebi que aquilo já estava lá, me aguardando na minha cama, em um pano branco como uma deusa. 

Decidi deixá-lo dormir e depois cobrar os 14 meses de aluguel. Comprei umas coisas massa pra completar o meu plano e fui para outro quarto fingir que estou dormindo e assim a criatura magicamente perceba que estou no quarto e venha tentar me atacar. Nota-se que o ponto alto deste plano é a simplicidade.

Fiquei esperando horas e horas mas ele não vinha, então eu dormi de verdade. UÊBA.

Porém, quando eu acordei, tinha algo com as mãos no meu (pausa dramática) pescoço. Ele tossia e vomitava sobre mim, provavelmente tentando me passar gonorreia. Otário, mal sabia ele que eu já tinha gonorreia. Lutei, chutei, chorei mas não consegui que ele me deixasse em paz, mas bem, o importante é que emoções eu senti. Então, decidi tentar algo: me fingir de morto. G-E-N-I-A-L. Ao perceber isso, ele começou a me cutucar de tudo quanto é canto, me sentia até mesmo um refugiado tentando ir para os Estados Unidos. 

Eu acabei reagindo, fugindo do protocolo de fingir de morto, e graças à Satã, consegui fugir dos braços fortes, tatuados, musculosos, meu deus que braços, oh... ah, enfim, me libertei dos braços do monstro. A verdade é que eu tinha entupido o quarto de gasolina, e com o simples isqueiro que carregava no bolso, eu toquei fogo naquela piranha safada (imagine essa cena ao som de Girl on Fire). Ele se contorcia e gritava em agonia e eu dava risada desse desgraçado. 

Fugi daquela casa invocando um portal mágico (nada dessa história fez sentido mesmo então fodase) e consegui sobreviver às chamas da paixão. E então, vendo a minha casa, meu lar, o local onde aquela criatura havia tirado a minha inocência (no primeiro mal sentido), eu percebi, e tudo começou a fazer sentido...

Todas as minhas lembranças, toda aquela experiência, toda aquela merda, passou pelos meus olhos, como se toda a minha vida até aquele momento tivesse sido só um seriado de televisão que durou seis temporadas e que até mesmo os fãs mais devotos passaram a abandonar porque nada naquela caralhada toda fazia sentido.

Era tudo o sonho de um cachorro.

FIM.

Está crepepasta faz parte de uma série que só apareceu aqui para ludibriar você com este final preguiçoso. Leia as outras partes e xingue bastante nos comentários:

6 comentários :

  1. kkkk "Ele tossia e vomitava sobre mim, provavelmente tentando me passar gonorreia. Otário, mal sabia ele que eu já tinha gonorreia."

    Adoro esse blog .-. Mesmo sendo uma buesta :3

    Ah, e vê se posta mais seus buestas. u.u Olha que eu posso rastrear as tuas casas e matar-lhes u.u #ficadica

    Beijos e uma mordida NHAC :B

    ResponderExcluir
  2. "consegui fugir dos braços fortes, tatuados, musculosos, meu deus que braços, oh..." o monstro era o Alemanha?

    "Fugi daquela casa invocando um portal mágico" o cara é o Inglaterra macumbero das galáxia?

    ResponderExcluir
  3. voltem logo com os posts

    ResponderExcluir
  4. voltem logo com os posts ou com o crepepastas dos fãs

    ResponderExcluir
  5. Kkkkkkkk morri gostei dessa budga o.O q porra mais loca meu meu loca mais porra O.o budga dessa gostei morri kkkkkkkk

    ResponderExcluir

Receba nossas atualizações por e-mail