30 de out de 2013

Galhos no Vento

Finamente chego em casa e posso transar com minha mulher. Foi aí que me lembrei: não tenho mulher... e nem pinto. Mas pelo menos eu podia ver meu filho que ganhei na loteria (WTF?) e agora arrumei um quarto pra enfiar o pentelho lá. Depois de matarmos um cara que passava próximo de casa e cozinhá-lo fomos pra cama. Ele queria dormir comigo (não pense besteira, lembre-se que eu não tenho pinto) porque “tinha um monstro na janela.”

— Papai, tem um monstro na janela.

Vai dormir retardado São só galhos no vento. Vá dormir eu preciso me masturbar.

Mostrei a ele um filme adulto os galhos e fiz um de pinto temporário. Fui para a cama arrastando-me imaginando que amanhã tinha que matriculá-lo num puteiro colégio interno. Ele me chamou de novo, e dessa vez eu estava quase pra dar um tiro nele.

— Papai, o Little Monster voltou! — disse a praga.

Eu esfreguei os galhos na fuça dele. Quebrei um e enfiei no olho dele.

— Tá aí caralho! É só um galho filho duma puta! É só uma merda de galho! Se me chamar de novo, tu morre, dou um tiro na porra da tua cabeça!

Então decidi dormir com ele Já disse para não pensar besteira, eu não tenho pinto para protegê-lo de qualquer monstro ou Xuxa que aparecer. Os lençóis da cama estavam cheios de bosta vermelhos, acho que meu filho estava comendo algo com ketchup.

Foi aí que me lembrei: não tenho filho, nem árvore na frente de casa e o galho que fiz de pinto está me devorando.

Um comentário :

  1. Texto escrito por Mariazinha Passolepinto né e.e

    ResponderExcluir

Receba nossas atualizações por e-mail